Pérola

"Nós entendemos que Israel tem o direito de se defender pois nesses últimos anos o Hamas lançou diversos foguetes na região"
Barack Obama

terça-feira, 27 de janeiro de 2009

O teu riso

Tira-me o pão, se quiseres,
tira-me o ar, mas não
me tires o teu sorriso.

A minha luta é dura e regresso
com os olhos cansados
às vezes por ver
que a terra não muda,
mas ao entrar teu riso
sabe ao céu a procurar-me
a abre-me todas
as portas da vida

À beira mar, no outono,
teu riso deve erguer
sua cascata de espuma...

Ria da noite,
do dia, da lua,
ria das ruas
tortas da ilha,
ria deste grosseiro
rapaz que te ama,
mas quando abro
os olhos e os fecho,
quando meus passos,
nega-me o pão, o ar,
a luz, a primavera,
mas nunca o teu riso,
porque então morreria.

Pablo Neruda

3 comentários:

Hugo Besteiro disse...

pessoa???? isso é do NERUDA!!!!!!!!!

Fabiano disse...

Desculpe mas apenas vi agora o seu comentário, de fato em vários lugares consta como pessoa em outros como Neruda, modifiquei o autor, mas você pode me passar a bibliografia do lovro que consta essa poesia do Neruda?

Hugo Besteiro disse...

O poema, tal como já tinha dito, é do Pablo Neruda e não do Fernando Pessoa. E pertence ao «Os versos do Capitão» («Los Versos del Capitan», no original).

Já agora, o poema que lá apresentas está incompleto. Podes ver o completo (versão portuguesa) em: http://2palavrase1risco.blogspot.com/2006/03/teu-riso-pablo-neruda.html

 
BlogBlogs.Com.Br